Colesterol bom e o ruim. Nesse filme tem bandido e mocinho?

É comum sempre ouvirmos dizer que existe o colesterol bom e o ruim. Mas isto tem algum sentido? O colesterol é uma substância gordurosa encontrada em todas as células do nosso corpo. Ele é essencial para o bom funcionamento do organismo, é responsável por algumas funções importantes como a síntese dos hormônios. O colesterol que pode ser de origem endógena, ou seja, produzido pelo próprio corpo ou exógena, adquirido pelos alimentos que ingerimos. E sim, realmente existe o colesterol bom e ruim. Vamos entender o porquê.

O chamado colesterol ruim é o LDL - Low Density Lipoprotein, ou lipoproteína de baixa densidade. Ele é o colesterol ruim porque aumenta os riscos de doenças cardíacas, principalmente a possibilidade de sofrer um infarto ou derrame, já que contribui para o acúmulo das placas de gorduras nas artérias, o que diminui o fluxo de sangue para os órgãos, como o coração e o cérebro.

Já o chamado colesterol bom é o HDL- High Density Lipoprotein ou lipoproteína de alta densidade. Ele atua protegendo o nosso corpo porque tem como função remover o LDL (colesterol ruim) das artérias, evitando o acúmulo de gordura nos vasos para que não haja interferências no fluxo sanguíneo, levando-o para o fígado, onde será metabolizado e eliminado.

Os valores de referência do colesterol bom e ruim são:
  • Colesterol bom (HDL): > 60 mg/dl
  • Colesterol ruim (LDL): < 130 mg/dl para as pessoas com baixo risco de doença cardíaca. Para as pessoas que tenham risco cardíaco intermediário e alto a indicação é manter o colesterol abaixo de 100 mg/dl. 

Para alcançar e manter níveis saudáveis de colesterol é importante adotar hábitos de vidas saudáveis como:
  • Praticar atividade física;
  • Controlar o peso;
  • Comer frutas, legumes, verduras e grãos;
  • Evitar açúcar e fritura;
  • Evitar o tabagismo e consumo exagerado de álcool.

Vale ressaltar que o colesterol derivado de gordura saturada e gordura trans levam à produção do colesterol ruim. O consumo de gorduras insaturadas, como azeite, favorece o HDL, assim como a prática de atividades físicas. Por isso o ideal para as pessoas com colesterol ruim alto é adotar uma dieta rica em gorduras insaturadas e pobres em gorduras saturadas.

Também é importante estar atento aos fatores de riscos, que podem ser agravados pelas taxas de colesterol fora dos parâmetros indicados. São eles:
  • Tabagismo
  • Hipertensão
  • Diabetes
  • Insuficiência renal crônica
  • Obesidade e síndrome metabólica;
  • Idade acima de 45 anos.

Fonte: V DIRETRIZ BRASILEIRA DE DISLIPIDEMIAS E PREVENÇÃO DA ATEROSCLEROSE da Sociedade Brasileira de Cardiologia.
Editorial, 08.AGOSTO.2018 | Postado em Geral
  • 1
Exibindo 1 de 1

Carregando...