Confira as principais dúvidas sobre a obesidade

Existem muitas dúvidas acerca da obesidade e cirurgia bariátrica, principalmente quanto ao resultado da perda e reganho de peso. Dúvidas sobre quanto tempo demora para a meta de peso ser alcançada, o que é possível fazer para emagrecer mais rápido e porque a pessoa voltou a engordar são frequentes no consultório.

O Instituto Baiano de Obesidade preza pelo tratamento individualizado de cada paciente, oferecendo um atendimento específico para cada caso – avaliando problemas associados à obesidade, objetivo e dificuldades do paciente, entre outros fatores.

Contamos com uma equipe multidisciplinar formada por médico cirurgião, endocrinologista, psicóloga, nutricionistas, fisioterapeuta, cardiologista e educador físico antes, durante e após o tratamento clínico ou cirúrgico da obesidade.

Para o coordenador do IBO, médico, cirurgião geral e bariátrico, Dr Daniel Proença (CRM 21.612), o acompanhamento com a equipe multidisciplinar é indispensável para o sucesso do tratamento. “Reforçamos ao paciente que não é só agendar uma consulta, fazer a avaliação, ser indicado para a cirurgia bariátrica, consultar a equipe no pré-operatório, fazer o procedimento e achar que vai obter ou manter o peso desejado. A cirurgia não é mágica, é necessário acompanhamento com todos os profissionais da equipe antes, durante e no pós-operatório. Quando o paciente não volta para a equipe após a cirurgia, a tendência é que depois de um tempo ele volte com os mesmos problemas ou reganho de peso”, explica.
 
Quanto tempo demora para a meta de peso ser alcançada?

A perda de peso não se dá de modo uniforme, por isso existe um tempo para atingir o objetivo desejado. Existem variáveis como idade, sexo, atividade física e fatores genéticos que influenciam nesse tempo. Em média os pacientes atingem o peso alvo por volta de dois anos, quando todas as orientações são seguidas.

É importante que os pacientes fiquem atentos à sinais anormais como dor, febre, falta de ar súbita e saída de secreções pela ferida ou pelos drenos com cheiro e aspecto diferentes do normal (durante a internação mostraremos o aspecto normal). Caso seja observado algum deles, o paciente deve procurar o médico cirurgião e equipe.
 
Qualidade do emagrecimento

A qualidade do emagrecimento está pautada na nutrição e nas atividades físicas, pois são os dois itens que amplamente norteiam a perda de peso. É importante definir os objetivos de cada paciente, suas expectativas em relação ao peso desejado e estratégias para elaborar um programa em relação aos tipos de atividades, intensidade, periodicidade e duração – sempre respeitando os limites de cada um.

De acordo com orientações da fisioterapeuta do IBO Thais Borges (CRF 7 – 181096- F), na primeira etapa, pós-cirurgia, as atividades devem ser monitoradas pelo fisioterapeuta, pelo menos por 30 dias, já que estas podem começar ainda no hospital. Normalmente após 40 dias já se pode realizar a maioria das atividades, salvo restrições médicas.

Exercícios coordenados, aeróbios ou não, são fundamentais na composição do programa de treinamento físico, de acordo com os objetivos e condições físicas de cada paciente. Atividades aquáticas como hidroginástica podem trazer excelentes resultados, tanto na diminuição do peso quanto na qualidade do emagrecimento. De três a cinco vezes por semana. Isto é suficiente não só para continuar emagrecendo, mas também para se manter saudável sempre.
 
Por que algumas pessoas voltam a engordar?

Entendemos que a cirurgia é uma ferramenta e parte do processo que deve ser respeitado nas suas limitações. A cirurgia é uma ajuda muito poderosa na perda de peso, porém os pacientes devem se comprometer em seguir as determinações que se fazem necessárias.

Mais de 50% dos pacientes terão algum grau de recuperação de peso e é importante saber o que é considerado normal - e até esperado - e o que não é. Recuperar cerca de 5-10% do excesso de peso reduzido após 24 meses da cirurgia, de forma lenta e sem repercussão clínica, pode ser considerado normal e não necessita nenhum tratamento.

Se o reganho de peso se inicia ainda no primeiro ano de pós-operatório, ou ocorre de forma rápida e associado a maus hábitos, se algumas das comorbidades como diabetes, esteatose (gordura no fígado), apneia do sono, colesterol e triglicerídeos elevados retornam, ou se a redução do excesso de peso for inferior a 50%, isto não é normal, deve ser avaliado e tratado com o seu médico cirurgião.
 
Editorial, 07.NOVEMBRO.2019 | Postado em Geral
  • 1
Exibindo 1 de 1

Carregando...